Agricultores familiares de Moreno têm acesso à terra com imissão de posse

waldemar-borges-mst-morenoDepois de 18 anos de ocupação, conflitos e resistência, os agricultores familiares do MST que ocupavam engenhos da Usina Bulhões comemoraram ontem a imissão de posse de terra e a criação de dois assentamentos no município de Moreno. O entendimento que resultou no acordo entre as partes teve início há dois anos e foi costurado no gabinete do deputado Waldemar Borges, quando o parlamentar recebeu o hoje secretário Executivo da Agricultura Familiar, Jose Cláudio, que representou o MST, e o proprietário da Usina, Roberto Beltrão. Foi o começo das tratativas de resolução do conflito, que teve continuação com o diálogo permanente durante todo o processo de negociação.

O evento, ocorrido no fim da tarde de ontem  (sexta, 10), contou com a presença do presidente nacional do Incra, Leonardo Góes. Na ocasião, o secretário de Agricultura e Reforma Agrária de Pernambuco, Nilton Mota, assinou a Ordem de Serviço para construção de uma barragem, reivindicação dos assentados endossada pelo deputado Waldemar Borges.

“Temos a responsabilidade de fazer  com que esses assentamentos virem um exemplo de produção e que as 175 famílias assentadas nele não  apenas consigam criar as condições para viverem com dignidade, mas que façam isso garantindo à sociedade alimentos de boa qualidade. Para isso é necessária a continuação da luta com a participação responsável e solidária dos governos em seus níveis federal, estadual e municipal”, ressaltou Waldemar Borges.

Também estiveram presentes ao evento o  deputado federal Tadeu Alencar; o secretário executivo de Planejamento do Estado, Adilson Gomes Filho; o secretário Executivo da Agricultura Familiar, Jose Cláudio; o superintendente do Incra em Pernambuco, Heliodoro Daltino;  o prefeito de Moreno, Vavá Rufino;  o proprietário da área, Roberto Beltrão; e os coordenadores do MST, Jaime Amorim e Alexandre Conceição, além da coordenadora do assentamento, Lene.