Alepe concede título de cidadania ao médico paraibano Malaquias Batista Filho em proposição de Waldemar Borges

Foto

A Assembleia Legislativa de Pernambuco realiza na próxima quarta-feira (19) sessão solene para entrega do Título de Cidadão de Pernambuco ao médico e pesquisador paraibano Malaquias Batista Filho. A proposição é do deputado Waldemar Borges. Aos 85 anos de idade, 54 dos quais vividos no Estado, Malaquias Batista Filho tem história de vida dedicada à saúde pública, sobretudo, nas áreas de nutrição, alimentação e desenvolvimento humano. A reunião solene acontecerá no Auditório Sérgio Guerra, a partir das 18h.
Paraibano de São Sebastião do Umbuzeiro, município distante 330 quilômetros de João Pessoa, Malaquias Batista Filho nasceu no dia 31 de agosto de 1934 no Sítio Pitombas, localizado nos Cariris Velhos da Paraíba. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) em 1961, instituição onde atuou como professor paralelamente à atividade de médico. Entre suas muitas atividades, atuou no atendimento médico de trabalhadores rurais das Ligas Camponesas da Paraíba.

Com o golpe militar, em 1964, Malaquias Batista Filho foi afastado da UFPB e do Serviço de Assistência Médica Domiciliar (SAMDU), onde realizava atendimento principalmente para a população mais carente. Segue então para Recife, e começa a lecionar no Departamento de Nutrição da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) por onde permanece durante 38 anos. Entra no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira – IMIP em 1990 como colaborador tornando-se desde então referência na instituição como pesquisador e professor de pós-graduação.

Malaquias Batista Filho atuou como consultor da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) em missões especiais realizadas em países da África e da América Latina. Suas pesquisas na área da nutrição permitiram avanços fundamentais na saúde pública. Entre muitas, destaca-se o estudo sobre a hipovitaminose , que forçou o Ministério da Saúde, em 1975, a tornar obrigatório o enriquecimento com vitamina A de todo leite comercializado no Brasil.

Com mais de 70 livros e artigos científicos publicados no Brasil e no exterior, Malaquias Batista Filho também integrou a equipe que elaborou o programa Fome Zero (Governo Lula). Seu trabalho e dedicação foram reconhecidos em concessões de diversas honrarias, como a Comenda Oswaldo Cruz (Ministério da Saúde), o Prêmio Nacional de Segurança Alimentar (Fundação Bunge), o Prêmio Anísio Teixeira (MEC) e Comenda Doutora Zilda Arns Neumann de Medicina e Responsabilidade Social (Conselho Federal de Medicina).

 

Para o deputado Waldemar Borges, o título cidadania é apenas a oficialização de algo que já pertence a Malaquias. “Seu espírito altruísta, humanista e sua extrema de dedicação a causas tão nobres, o colocam ao lado de personalidades como Josué de Castro”, destacou o deputado Waldemar Borges.