Gravatá e Bezerros têm fornecimento de água ampliado por Jucazinho

 

matuto 2

Os municípios de Gravatá e Bezerros terão o abastecimento de água reforçado pelo Sistema Jucazinho – que conta com o maior reservatório para consumo humano do Agreste, instalado em Surubim, com capacidade para armazenar mais de 327 milhões de metros cúbicos de água. Na manhã desta quarta-feira (10.02), o deputado Waldemar Borges acompanhou a abertura das válvulas, que permitiram a retomada do fornecimento, ao lado da presidente da Compesa, Manuela Marinho, do diretor Regional do Interior da Companhia, Mário Heitor, e do prefeito de Gravatá, padre Joselito Gomes.

 

Para o deputado, o dia representou um importante marco, uma vez que o incremento de Jucazinho  reduzirá o rodízio do fornecimento de água nas duas cidades do Agreste. ” Essa iniciativa faz parte de um conjunto de outras que o Governo do Estado vem realizando na região para minorar o sofrimento que população passa no enfrentamento à falta de água. Ajudará muito até que a solução definitiva chegue, que será a vinda da Adutora do Agreste, outra obra que o governador Paulo Câmara tem se empenhado muito”, destacou.

A água fornecida por Jucazinho contará com uma vazão de 80 litros por segundo e será tratada na Estação de Tratamento de Água (ETA) Bezerros antes de ser distribuída para os dois municípios.  Investimentos na ordem de R$ 9 milhões foram feitos pela Compesa na ampliação da ETA adequando a infraestrutura hídrica.

Outras obras também estão sendo executadas pela Compesa, como a implantação do sistema de esgotamento sanitário em Bezerros (ano passado Gravatá teve sua primeira etapa concluída), além da Adutora do Agreste. “No Agreste, já realizamos grandes entregas para aumentar a oferta de água na região, que tem a menor disponibilidade hídrica por habitante, e estamos aqui apresentando os investimentos e o nosso planejamento de trabalho para garantir mais água para a população e elevar o índice de cobertura de esgoto, garantindo, assim, mais saúde e qualidade de vida a todos”, afirmou Manuela Marinho.