waldemar-borges-deputado-estadual

Vida dedicada à política

Waldemar Borges é um pernambucano envolvido com a atividade política desde a sua juventude, quando participou ativamente do processo de reorganização dos movimentos estudantil e comunitário, na luta pela redemocratização do País.

Nos anos 80, quando iniciou o curso de economia na UFPE, liderou a reestruturação da juventude partidária, então integrada ao antigo PMDB, legenda que abrigou todos os que reagiram ao regime autoritário, à época da ditadura. A partir de 1988, saiu da universidade e foi eleito vereador do Recife em quatro mandatos consecutivos (1988, 1992, 1996 e 2000), assumindo a presidência da Câmara Municipal entre os anos de 2003/04. Na Câmara de Vereadores do Recife, além da sua presidência, ocupou outras funções de destaque, como líder da oposição e presidente de várias comissões permanentes.

Antes de se eleger pela primeira vez, Borges foi diretor de Pesquisa e Ação Social, da Secretaria de Trabalho e Ação Social de Pernambuco e secretário-adjunto de Trabalho, no governo de Miguel Arraes, em 1986. Eleito em 88, tornou-se constituinte municipal (1990), tendo papel destacado na consagração de diversos instrumentos de afirmação da cidadania, sobretudo os que garantem a participação e o controle social sobre a gestão pública. Voltou a ser secretário de Miguel Arraes em 1995, dessa vez na pasta de Projetos Especiais. Posteriormente, em 2001, assumiu a Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura do Recife e, em 2005 a presidência da Empresa de Processamento de Dados do Recife, a EMPREL.

Participando com Eduardo Campos desde o começo da caminhada que o levou ao Palácio do Campo das Princesas, Waldemar foi seu secretário de Articulação Social entre os anos de 2007 e 2010, quando, entre outras atribuições, coordenou a Câmara de Prevenção Social do Pacto Pela Vida e o Conselho Estadual de Desenvolvimento Social – CEDES.

Nas eleições de 2010, elegeu-se deputado estadual com a expressiva votação de 52.845 votos. Foi Líder do Governo durante todo o tempo em que o governador Eduardo Campos esteve à sua frente, cargo que continua exercendo a convite do governador João Lyra. Ao longo de todo esse período, Waldemar Borges encaminhou mais de 600 projetos de lei apresentados pelo Executivo. Todos foram aprovados, sendo a grande maioria deles pela unanimidade dos deputados e deputadas.

A atuação de Waldemar Borges, em todos os cargos que ocupou, foi marcada pela coerência, correção, firmeza e, ao mesmo tempo, capacidade de diálogo.  Por isso, os vinte anos de mandatos desempenhados com reconhecida decência e compromisso público, credenciam Waldemar Borges para se apresentar ao eleitorado pernambucano como um dos melhores representantes da boa política. A política elevada, transformadora, voltada para a coletividade. A política como ela deve ser.