Waldemar Borges comenta os esforços do Governo do Estado no enfrentamento a Covid 19

WB 04_06

Depois de passar por um isolamento mais rigoroso, após ter testado positivo para a Covid 19, o deputado estadual Waldemar Borges voltou a participar das reuniões plenárias da Assembleia Legislativa. “Passamos por esse susto, mas agora finalmente recebemos o resultado negativo do exame”, revelou. O deputado falou nesta quinta-feira (04.06) sobre os esforços que o Governo do Estado vem fazendo para enfrentar a epidemia do novo coronavírus.

“Quero deixar aqui o testemunho de todos que se veem diante de uma doença ainda desconhecida, que não sabe que rumos tomar porque tudo é muito incerto e pouco se conhece sobre esse vírus, e os desdobramento quando a pessoa se contamina. Ainda bem que fui acometido de uma forma branda, mas que de qualquer forma gera muita expectativa”, revelou.

O deputado falou que em meio ao susto pôde constatar que em nosso estado os encaminhamentos, o comportamento do Governo e as deliberações do governador Paulo Câmara têm sido as mais corretas. “Acredito que o modelo adotado aqui em Pernambuco foi o mais indicado para enfrentar essa situação. Ao contrário do que acontece em nível Federal, o governador procurou ouvir o bom senso, aprender com o que está acontecendo no mundo todo e seguiu as orientações mais adotadas em escala mundial”, disse.

“Por isso hoje podemos dizer que aqui em nosso estado, como foi constatado em estudo recente da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, a taxa de infecção, que está abaixo de 1, indica uma desaceleração da epidemia. Outros estudos também nos permitem ver que, enquanto em praticamente todo país ela cresce, aqui estamos conseguindo começar a controlar efetivamente essa doença”, revelou.

Mas o deputado ressaltou que os números não podem trazer nenhum tipo de acomodação enquanto uma pessoa morrer ou a epidemia não estiver totalmente controlada. “Eles nos trazem a certeza de que o caminho adotado é correto, mas não nos permitem relaxar”, acrescentou. Waldemar Borges lembrou que isso é fruto de muito esforço, muito trabalho e de muito investimento. Pernambuco gastou com recurso próprios mais de R$ 500 milhões e, junto com a Prefeitura do Recife, disponibilizou 2.304 leitos, sendo 812 UTIs. Além disso, contratou quase 10.000 profissionais de várias áreas que foram incorporados à rede pública para fazer frente ao novo coronavírus.

Ele reforçou que a situação é muito difícil ainda, e que temos que ter cautela nesse processo de flexibilização das regras, senão vamos jogar por água abaixo todo esse esforço. “O perigo de haver um retrocesso é real se a flexibilização for feita sem cautela”, alertou.

Por fim, o deputado disse que, infelizmente, os estados estão trabalhando praticamente sós nessa luta. “Aqui em Pernambuco, por exemplo, o que entrou efetivamente do Governo Federal nos cofres pernambucanos foram R$ 120 milhões até hoje. Temos um presidente que vai no sentido contrário de todos os nossos esforços, por isso estamos vendo recordes de mortes no Brasil.  Não se concebe no meio de uma pandemia o Governo Federal ter trocado de ministro da Saúde duas vezes e até hoje ter um ministro interino no cargo. Ontem, o presidente vetou um repasse que seria feito aos estados e municípios na ordem de R$ 8,6 milhões e, quando perguntado pelas mais de 30 mil mortes no Brasil, respondeu que todos vão morrer um dia. O que dizer de um gestor público que se coloca dessa forma sobre uma tragédia contra a qual deveria estar agindo?”, concluiu.