Waldemar Borges destina emendas para entidades sociais de Gravatá

assitencia-social-emendas-gravata-waldemar-borgesAtravés de emendas parlamentares de autoria do deputado Waldemar Borges, líder do Governo na Assembleia Legislativa, três entidades sociais do município de Gravatá foram beneficiadas com recursos para a realização de projetos de formação educacional, inclusão social e produtiva de jovens e adultos do município. Com um total de R$ 225 mil liberados, as organizações Obra de Defesa da Infância Pobre (ODIP), Serviço de Estimulação e Reabilitação da Criança (SERC) e Grupo de Apoio aos Meninos e Meninas de Rua de Gravatá (GAMR) poderão executar projetos e ampliar o universo de atendidos.

A Obra de Defesa da Infância Pobre (ODIP), organização não governamental que há 60 anos atua em Gravatá, iniciará o projeto “De Olho no Futuro” que oferecerá oficinas culturais, de esportes, de qualificação profissional para crianças, adolescentes e seus familiares moradores da comunidade Área Verde e de bairros próximos. O valor da emenda foi de 105 mil reais e o convênio foi assinado na semana passada.

Atuando há 26 anos no atendimento de crianças e adolescentes com necessidades especiais, o Serviço de Estimulação e Reabilitação da Criança (SERC), recebeu R$ 85 mil e ampliará o número de atendimento com a contratação de profissionais especializados, como fisioterapeutas, psicólogos, garantindo ainda a alimentação das crianças e jovens durante o período de permanência na instituição. Atualmente, o SERC trabalha com mais de duzentas crianças oriundas de Gravatá, Chã Grande, Bezerros e Camocim de São Félix.

Também com mais de duas décadas de experiência, o Grupo de Apoio aos Meninos e Meninas de Rua de Gravatá (GAMR), desenvolverá projeto em parceria com a Associação Ama Terra (agroecologia, preservação ambiental e inclusão produtiva) dos jovens (4 a 18 anos) em situação de vulnerabilidade social da cidade.

O deputado Waldemar Borges destacou o trabalho das instituições de Gravatá. “É gratificante ver o trabalho realizado com total abnegação e responsabilidade. A sociedade precisa apoiar iniciativas como essas. Não basta apontar problemas e ficar criticando sem fazer nada. A solidariedade para ser verdadeira tem que sair do discurso e virar gesto concreto”, destacou o parlamentar.