Waldemar Borges intermedia reunião entre panificadores e a AGE

 

print reunião AGE panificadores

Importante segmento da economia pernambucana, com quatro mil estabelecimentos comerciais que geram 40 mil empregos diretos e 90 mil indiretos em todo Estado, a panificação também vem sentindo fortemente os impactos da pandemia de Covid 19. Para avaliar os mecanismos de apoio do Governo do Estado ao setor, o deputado Waldemar Borges propôs uma reunião com a Agência de Empreendedorismo de Pernambuco (AGE) e o Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria do Estado de Pernambuco (Sindipão). Ela aconteceu na noite desta terça-feira (13.04), de forma virtual, com a participação do porta-voz da AGE, Márcio Stefanni; do diretor de Negócios da Agência, Edilberto Xavier, e com o presidente do Sindipão, Paulo Pereira. Desde o começo da pandemia, em março do ano passado, cerca de 500 padarias já encerraram suas atividades devido ao aumento de custos e queda no faturamento das padarias, em média, de 45% segundo o sindicato.

 

“Provocamos essa reunião para ver de que maneira a Agência pode apoiar o setor, que exerce uma atividade essencial para a população, neste momento desafiador que estamos passando”, assegurou Waldemar Borges.

De acordo com o presidente do Sindpão, Paulo Pereira, o setor da panificação está presente em todas as cidades de Pernambuco e assume a liderança na oferta de vagas de primeiro emprego entre todos os ramos da indústria. “Na reunião apresentamos a queda de faturamento que vem atingindo a maioria das padarias. Aquelas centralizadas em bairros mais favorecidos e que respondem por um determinado perfil sofreram menos, mas a grande maioria registrou uma grave queda de faturamento. Estamos pleiteando junto ao Governo financiamentos para trabalhar o dia a dia”, destacou,

 

No encontro, Márcio Stefanni assegurou que a Agência está aberta ao diálogo e apresentou o Giro PE, nova linha de crédito emergencial anunciada pelo governador Paulo Câmara no mês passado, voltada para empresas de pequeno porte. Com investimento total de R$ 10 milhões, o Giro PE assegura liberação de empréstimos de até R$ 50 mil por empresa, com taxas de juros e prazos de carências diferenciados.