Fortalecimento de cooperativas de crédito é tema de debate na Alepe

As principais estratégias para fortalecer as cooperativas financeiras em Pernambuco foram discutidas em reunião virtual da Frente Parlamentar em Defesa do Cooperativismo, realizada nesta segunda. No encontro, representantes das maiores instituições do estado apresentaram ao Poder Legislativo as demandas do setor. O presidente do Sindicato e Organização das Cooperativas, Malaquias Ancelmo, fez um panorama da atual situação.

“As cooperativas de crédito de maneira geral são as que hoje mais crescem e prosperam no Brasil inteiro, têm hoje toda uma deferência especial do Banco Central do Brasil, que além de órgão fiscalizador é também um órgão hoje fomentador do cooperativismo de crédito no Brasil.”

Na mesma linha, o presidente da Sicredi Vale do São Francisco, Antônio Vinicius Leite, afirmou que o segmento é estratégico na retomada econômica após a pandemia, pois tem entre os objetivos a redução das desigualdades e a melhoria da distribuição de renda. “Tenta promover a inclusão financeira com acesso mais desburocratizado a operações de crédito, tornando mais acessíveis a uma parcela da população que geralmente não é atingida pelas outras instituições e tenta distribuir mais do que concentrar.”

As cooperativas são formadas pela associação de pessoas para prestar serviços financeiros aos associados, sem finalidades lucrativas. Por esse motivo, a necessidade de manter o atual regime tributário a que elas se sujeitam é uma das prioridades. A preocupação foi registrada pelo presidente do Sicoob em Pernambuco, Evaldo Campos. “Porque alguns tributaristas estão entendendo errado o ato cooperativo e estão querendo taxar as cooperativas com mais tributos e a gente entende que não é por aí.”

Ele pediu, ainda, a agilidade na tramitação de projetos federais relacionados ao cooperativismo e a revisão de normas que limitam a atuação das instituições.

Já o presidente do Conselho de Administração da Sicredi Pernambucred, Luís Aureliano, ressaltou a necessidade de ampliar o mercado das cooperativas para melhorar a economia. “O nosso resultado, as sobras, são distribuídas anualmente para o nosso cooperado e mais do que isso, essa riqueza que é produzida nas cooperativas  fica aqui no estado de Pernambuco, fomentando a economia local, não vai para São Paulo, não vai para a Espanha.”

O coordenador da Frente Parlamentar, deputado Waldemar Borges, do PSB, sugeriu convidar deputados da bancada pernambucana no Congresso Nacional para discutir o tema. “Todas as questões praticamente são vinculadas à esfera federal, portanto, a minha sugestão de encaminhamento é a seguinte, que a gente faça uma reunião, talvez até extra, convidando os deputados federais para transmitir para eles essas preocupações.”

O deputado Aluísio Lessa, do PSB, também participou da reunião e destacou a relevância da Frente Parlamentar para aproximar cooperativas e Poder Legislativo.

Fonte: Blog do Didi Galvão (31.08.2021)